• Document: Funções da linguagem e elementos de comunicação
  • Size: 684.31 KB
  • Uploaded: 2019-07-19 23:09:44
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

CURSO MENTOR www.cursomentor.com Funções da linguagem e elementos de comunicação Elementos de comunicação: são todos os elementos que estão presentes no ato de comunicação. Há vários autores que falam sobre o tema, modificando os seus participantes. A divisão mais aceita e difundida é: Emissor - o que emite, codifica a mensagem; Receptor – o que recebe, decodifica a mensagem; Referente - contexto relacionado a emissor e receptor; Mensagem - conteúdo transmitido pelo emissor; Código - conjunto de signos usado na transmissão e recepção da mensagem; Canal - meio pelo qual circula a mensagem; Assim, uma possível imagem resumitiva seria: FUNÇÕES DA LINGUAGEM São recursos que dão ênfase à intenção que o emissor quer transmitir para que a mensagem seja compreendida ou para reforçar algum de seus elementos linguísticos. 1. Função emotiva (ou expressiva) - É aquela centralizada no emissor, revelando sua opinião, sua emoção. Nela prevalecem a primeira pessoa do singular, interjeições e exclamações. É a linguagem das biografias, memórias, poesias líricas e cartas de amor. Ex.: “Sou um menino que vê o amor pelo buraco da fechadura. Nunca fui outra coisa. Nasci menino, hei de morrer menino. Nelson Rodrigues 2. Função conativa (ou apelativa) - É aquela que se centraliza no receptor; o emissor procura influenciar o comportamento do receptor. Como o emissor se dirige ao receptor, é comum o uso de tu e você, ou o nome da pessoa, além de vocativos e imperativos. Usada nos discursos, sermões e propagandas que se dirigem diretamente ao consumidor. Ex.: “Na hora do voto, você precisa pensar nos seus filhos. Qual é o País que você quer deixar pra eles? Deixe um país melhor! Vote em mim, acredite em nosso projeto de governo! Conto com você!” 1 CURSO MENTOR www.cursomentor.com 3. Função referencial (ou denotativa) - É aquela centralizada no referente, pois o emissor oferece informações da realidade. Objetiva, direta, denotativa, prevalecendo a terceira pessoa do singular. Linguagem usada na ciência, na arte realista, no jornal, no “campo” do referente e das notícias de jornal e livros científicos. Ex. “No dia 13 de março daquele ano, data da realização de comício em frente à Estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro, perante trezentas mil pessoas, Jango decreta a nacionalização das refinarias privadas de petróleo e desapropriação, segundo ele para a reforma agrária, de propriedades às margens de ferrovias, rodovias e zonas de irrigação de açudes públicos. Desencadeou-se uma crise no país, com a economia já desordenada e o panorama político confuso. A oposição militar veio à tona para impedir que tais reformas se consolidassem, impondo o que consideravam uma manutenção da legalidade e da estrutura socioeconômica vigente.” 4. Função poética - É aquela centralizada na mensagem, revelando recursos imaginativos criados pelo emissor. Afetiva, sugestiva, conotativa, ela é metafórica. Valorizam-se as palavras, suas combinações. É a linguagem figurada apresentada em obras literárias, letras de música e em algumas propagandas. Ex.: “Vês?! Ninguém assistiu ao formidável enterro de tua última quimera. Somente a ingratidão - esta pantera - foi tua companheira inseparável!” 5. Função metalinguística - É aquela centralizada no código, usando a linguagem para falar dela mesma. A poesia que fala da poesia, da sua função e do poeta, um texto que comenta outro texto. Principalmente os dicionários são repositórios de metalinguagem. Ex.: Estudar: v.t. ¹Procurar adquirir o conhecimento de algo: estudar uma lição. ²Dedicar-se à apreciação, análise ou compreensão de uma obra literária, artística, técnica etc.: estudou muito Machado de Assis. ³Preparar, examinar: estudar um projeto de lei. Ponderar, amadurecer: estudar um caso. 6. Função Fática - É aquela centralizada no canal, tendo como objetivo prolongar ou não o contato com o receptor, ou testar a eficiência do canal. Linguagem das falas telefônicas, saudações e similares. Ex.: “Ei, Houston, estamos com um problema... É que... Houston, nossa nave, ei, alô, câmbio, alguém na escuta?... Houston, por favor!” Exercícios 1 - Assinale a alternativa em que a função apelativa da linguagem é a que prevalece: a) Trago no meu peito um sentimento de solidão sem fim… sem fim… b) “Não discuto com o destino o que pintar eu assino.” c) Machado de Assis é um dos maiores escritores brasileiros. d) Conheça você também a obra desse grande mestre. e) Semântica é o estudo da significação das palavras. 2 CURSO MENTOR www.cursom

Recently converted files (publicly available):